www.eroticoeprofano.blogspot.com

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

HUMILHAÇÃO? DOMINAÇÃO?

Humilhação - A ENVERGADURA DA ALMA
 "Ato de provocar a DOR MORAL. Redução deliberada do ego para propósitos eróticos, variando de embaraço moderado a degradação".

Texto de autoria de nossa convidada - kazua = K@ =
A humilhação é, no meu ponto de vista , talvez um dos mais complexos assuntos emBDSM, pois, o que pode ser humilhante para um submisso, é considerado o paraíso pra outro. Discordo quando algumas pessoas dizem que humilhação não pode ser comparado com Dominação, mas é claro que pode, desde que seja de forma consensual e que não seja um limite para o submisso .

A humilhação física, pode fazer com que o submisso faça coisas que jamais faria, como por exemplo um homem ser obrigado a andar de calcinhas fio dental por baixo do terno ou a mulher sem calcinhas por baixo de um vestido e sair as ruas como se nada tivesse acontecendo ,podemos também listar a questão da nudez em público a escrava, o submisso sabe que aqueles serão minutos intermináveis, mas que vai passar, ele ou ela daqui a pouco vai vestir a roupa, ou, ser obrigado a usar o banheiro sem permissão para fechar a porta, enfim, são infinitas as práticas D/s que abrangem humilhação física .

Vamos falar agora daquela cujo o Dominador não vê as marcas, mas sabe que as produziu essa sim, é onde o poder e a submissão são realmente colocados a prova, e onde o DONO, toca no mais íntimo de sua peça, seja com palavras, olhares , gestos ou simplesmente nada, o simples fato , o silêncio do DONO já causa uma dor horrível na escrava, e ela fica se perguntando onde está o erro, o porquê daquela humilhação. 

A prática da humilhação em BDSM deve ser realizada por Dominadores que realmente sabem o que estão fazendo caso contrário poderá causar um dano irreversível a sua peça.
 Acredito que o fato de se fazer a peça descer para o fundo de um poço na relação de humilhação no BDSM, só vai fazer com que essa peça suba mais forte sem perder a fragilidade a doçura que conquistaram o DONO para que ele possa dizer com toda certeza " essa escrava é MINHA".


Links consultados: 
http://gasmask.wordpress.com/2008/01/15/dicas-de-humilhacao/
 
http://www.senhorverdugo.com/sadomasoquismo/382-humilhacao.htmlhttp://www.revistaparadoxo.com/materia.php?ido=7073

http://janussw.blogspot.com/2010/01/humilhacao-erotica-traducao-janus-sw.html?zx=ffcaf03814153afb 
http://reinodeka.blogspot.com/2010/02/dominacao-x-sadismo.html
 kalía | K@

Tua…
escrava nua
no gozo
te levo à lua
que brilha,
no amor,
a carne crua…
o sabor,
meu sangue
em tua boca,
Coagula…
loucura,
desejo,
tortura
Sempre!!!
Tua…
escrava nua!!!

Bruna

AMIGOS LEITORES
NUM DESSES VÔOS, QUE COSTUMO FAZER SEMPRE, A CASA DE MEUS AMIGOS, FUI A PÁGINA DO MESTRE K.
COMO SEMPRE, VÍ POR LÁ, MATÉRIAS INTERESSANTÍSSIMAS E POR ISSO, TRAGO ALGUMAS DELAS PARA QUE VOCES POSSAM APRENDER CADA VEZ MAIS, E MELHOR, E O MAIS IMPORTANTE...DA MANEIRA CORRETA.


BOA LEITURA E BJS A TODOS 




Servir ou servir?


Quem acompanha meu site há mais tempo já deve ter lido em alguns de meus textos, quando afirmo que a escravidão no Brasil é proibida por Lei, porém no meio BDSM, no contexto de uma fantasia erótico-sexual, as pessoas se permitem viver relações similares. Vivências que, com maior ou menor nível de intensidade, se aproximam do que aconteceu nos primórdios da colonização brasileira.

Partindo desta idéia, sempre digo em tom de “brincadeira” que submissa tem que "ralar", tem que sofrer. Se ela escolheu esse papel, não tem que querer ficar no "bem-bom", caso contrário, melhor assumir-se como Rainha.
A escolha dos papéis é livre em nosso meio, cada um decide o que quer viver de acordo com suas aptidões e desejos. Eu escolhi ser Dominador, já as minhas submissas, perceberam que o lado submisso lhes proporciona mais prazer. Facetas estas que são tão opostas, mas que se completam no elo comum que nos une: a busca do prazer e satisfação pessoal. Por isso procuro conduzir minhas submissas a viverem a minha fantasia e as suas procurando ser mais fidedigno possível com o que definimos no período de negociação.

A definição do que vai acontecer a partir daí relaciona-se ao modo de ser e de entender de cada uma. Neste caso, as vivências têm formas e intensidades diferentes, mas sempre procuro conhecer as motivações que as trouxeram para o SM e deixo bem claro o que quero e o que espero de cada uma delas.

Gosto muito do controle, por isso sou sempre presente da vida das minhas submissas, controlo que elas podem comer,  o que vão vestir,  que tipo de lazer estão liberadas, quais as formas e o período que têm autorização para ter prazer sexual, sozinhas ou com seus parceiros (as casadas), entre outras coisas.

Todas elas, sem exceção, independente da classe que ocupam têm tarefas e cumprem regras, com dias e horários determinados... E o objetivo de tudo isto é tirá-las da zona de conforto e dar mais realismo ao papel que escolheram viver. Ao receberem a minha koleira, elas transferiram para mim o direito de controlar tudo, até mesmo o tempo que ficam na internet (MSN, chats, Orkut e outros), ou ainda assistindo novela, ou dormindo. As que trabalham, são casadas, têm filhos, devem se organizar para dedicar tempo na realização de suas tarefas, e, caso mereçam, ter contato comigo. Claro que as tarefas são condizentes com a realidade de cada uma. Caso tenham que sair de sua rotina para realizar qualquer atividade fora do cotidiano, só podem ir com a minha autorização. A desobediência ou o “esquecimento” implica em arcar com as conseqüências.

A dedicação, o esforço, a tentativa constante de superação das dificuldades, a forma como a submissa se entrega e se permite viver tudo isto que é a minha fantasia, é que faz toda a diferença! É nesse momento que consigo distinguir a verdadeira submissa, que por suas atitudes, torna-se digna de todo meu respeito e admiração, das demais pessoas do meio. Por outro lado, identifico também aquela que quer apenas estar submersa em sucessivas aventuras, pois diante da rotina e das reais provações, se perde facilmente e acaba devolvendo sua coleira nos primeiros obstáculos, ou me faz perder a motivação de levar a relação adiante.

Digo sempre e cada vez mais eu tenho certeza de que é com o sofrimento, a pressão física e psicológica, o cansaço, a humilhação, que o crescimento da submissa acontece... Quando elas estão realmente dispostas a viver a minha fantasia, que bem sei não é fácil, vejo dia a dia as minhas meninas desabrocharem como lindos botões de rosas. 
Por isso, no Reino de K@ exijo muito de todas as minhas submissas, pois ou elas crescem e passam a fazer parte de um seleto grupo dignas de serem chamadas verdadeiramente como 
Submissas, ou pedem para sair.

CRÉDITOS: Mestre K@!
Quero no inferno mergulhar
Entre mil agulhas ser um Rio
De sangue para me banhar
No vermelho que desejo
Mais até que o próprio beijo
Vício louco, me faz respirar
Mata-me!!! Castiga-me sim!!!
Como se todo o pecado do mundo
Fosse pouco para mim
Pois não sei o que faço
Em cada momento, em cada passo
Preciso de mais e mais…..
Tentei até desviar isso da mente
Ser comum em tua frente
Mas não consigo ser assim
Sonho com tua lâmina afiada
A boca amordaçada…..
Na ameaça das tuas mãos!

Bruna

terça-feira, 23 de novembro de 2010

A cada dia que vivo,
mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas
forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que,
esquivando-nos do sofrimento, perdemos também a felicidade.


CRÉDITOS:  Carlos Drummondde Andrade
AMIGOS


VIAJANDO PELOS BLOGS DOS AMIGOS, MAIS PRECISAMENTE, NO BLOG DO MESTRE SPLINTER, ME DEPAREI COM O TEXTO ABAIXO, AO QUAL ACHEI MUITO OPORTUNO E ASSINO EMBAIXO.


BOA LEITURA


Talvez "estou saindo do SM" seja a frase que mais escutei até hoje, geralmente por sub e principalmente após a decepção de mais uma coleira, mas isso não é privilégio exclusivo de subs não, alguns dominadores também já ameaçaram e alguns chegaram a sair mesmo do SM.

Mas fico pensando: -Será que o problema é mesmo do meio? Ou o problema está na própria pessoa, que repete no SM os mesmos erros das relações baunilha.

Para reforçar essa minha tese, tenho contato com algumas pessoas que abandonaram o meio, e na vida baunilha não estão diferentes do SM. As que estavam só, permanecem só. As que conseguiam manter relacionamento no SM, tem relacionamento, e as que tinham relacionamentos tulmutuados, continuam com o mesmo problema.

A pessoa vem para o SM procurando algo que não teve em suas relações baunilhas, mas será que realmente sabe o que está procurando?

A capacidade de se relacionar está dentro da gente, o meio não afeta nossa personalidade, na verdade o que devemos rever é nossa postura diante das dificuldades .

Tentar conhecer um pouco mais as pessoas com as quais pretendemos conviver ajuda muito mas as decepções acontecem independente do tipo de relacionamento que se leva e isso não deve ser motivo de abandonar o meio.

 MESTRE SPLINTER

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

hoje eu vou mudar
Sair de dentro de mim e não usar somente o coração,
Parar de contar os fracassos,
Soltar os laços e não perder as amarras da razão,
Voar livre com todos os meus defeitos
Pra que eu possa libertar os meus direitos
E não cobrar dessa vida nem rumos e nem decisões.
Hoje eu preciso e vou mudar.
Dividir no tempo e somar no vento
Todas as coisas que um dia sonhei conquistar,
Porque sou mulher como qualquer uma,
Com dúvidas e soluções com erros e acertos,
Amores e sabores,
Suave como a gaivota e felina como a leoa,
Tranquila e pacificadora
Mais ao mesmo tempo irreverente e revolucionária,
Feliz e infeliz, realista e sonhadora,
Submissa por condição mas independente por opinião,
Porque sou mulher
Com todas as incoerências que fazem de nós o forte sexo fraco.


Dê uma pausa em sua vida...
Dê uma pausa que seja...
Uma pausa pra refletir
Uma pausa pra agradecer
Uma pausa para pedir...
Mas dê uma pausa pra você.
Uma pausa para dizer: eu te amo...
Uma pausa para olhar-se e admirar-se
Uma pausa pra sonhar e renovar-se
Dê uma pausa, esconda os relógios,
Dê uma pausa no que estiver fazendo...
E pense em tudo que tem deixado de viver
Simplesmente, por não perder tempo.
Existem pessoas
que amam
e dizem que gostam;
Existem pessoas que
gostam e dizem que amam;
Existem pessoas
que não dizem nada...
os olhos e os
gestos dizem Tudo!
 "Que o caminho seja brando a teus pés,
vento sopre leve em teus ombros. 
Que o sol brilhe cálido sobre tua face, 
As chuvas caiam serenas em teus campos.
E até que eu de novo te veja,
que os Deuses te guardem nas palmas de Suas mãos"
Na encruzilhada
... Acende o cigarro,
e bebe a cachaça
porca imunda pirraça
vaca suja profana
filha do cão que engana
mulher da vida
hetera danada
Cortesã da galiléia
Puta cadela safada,
Modelo do inferno
de bolsa no cais a piranha
Desfila na rua e atenta
E quando não mais ela ganha
Na encruzilhada ela inventa
... Acende o cigarro,
e bebe a cachaça
porca imunda pirraça
vaca suja profana
filha do cão que engana

CRÉDITOS: Bruna


"Não sinto nada mais ou menos, ou eu gosto ou não gosto.
Não sei sentir em doses homeopáticas.
Preciso e gosto de intensidade, mesmo que ela seja ilusória e se não for assim, prefiro que não seja.
Não me apetece viver histórias medíocres, paixões não correspondidas e pessoas água com açúcar.
Não sei brincar e ser café com leite.
Só quero na minha vida gente que transpire adrenalina de alguma forma, que tenha coragem suficiente pra me dizer o que sente antes, durante e depois ou que invente boas estórias caso não possa vivê-las.
Porque eu acho sempre muitas coisas - porque tenho uma mente fértil e delirante - e porque posso achar errado - e ter que me desculpar - e detesto pedir desculpas embora o faça sem dificuldade se me provarem que eu estraguei tudo achando o que não devia.
Quero grandes histórias e estórias; quero o amor e o ódio; quero o mais, o demais ou o nada.
Não me importa o que é de verdade ou o que é mentira, mas tem que me convencer, extrair o máximo do meu prazer e me fazer crêr que é para sempre quando eu digo convicto que "nada é para sempre."


O texto nao é meu, nao achei a autoria, mas é como se me descrevesse...

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Madrugada na rua vazia
Ele chega sem avisar
Surpreende e me rende
Na mala do carro
Bandido, me joga e me prende
e entre força e ameaça
na mordaça, faz minha boca calar
algemada e assustada
na escura caverna trancada
já nem sei o que pensar
o ar me falta , com medo, tento gritar
- Por favor, me solte! Mas não posso... 
A boca lacrada, estou a sufocar....
Enquanto o louco tesão nem disfarça
de dentro pra fora... 
o fluido da flor começa a gotejar
E na velocidade do algoz
Nem dia e nem hora, agora a história
começa ali.... e só ele sabe o final
E naquele interminável escuro
meu corpo gelado, excitado e inseguro
é jogado para um lado e para outro
Até que num freio violento
Percebo que tudo parou
Minh'alma gela, a respiração acelera...
O barulho da rua silencia, cessou
O porta-malas é então aberto 
E a sombra daquele homem
Sob a luz da noite a me encarar....
Violento me pega pelos cabelos
e sem dizer nada, até um quarto me arrasta
entre muitas pedras e sujeiras
Me xinga, fala besteiras
Quer me atingir, me fazer cair
Mas em contrário do que ele queria
Meu corpo em fogo acendeu
Ao ver em sua mão, uma faca
Assustada.... Apenas eu
Em êxtase fiquei a olhar parada
A cena e fúria do cão raivoso que esbravejava
- Se abrir a boca, te calo!!!
- Se gritar, te espanco!!!
Eu sentia tanto medo, 
E, ao mesmo tempo.... O meu corpo desejava
Em cara de anjo dissimulada, disfarçava
Igual presa a sofrer...........
- Por favor!!!! Não me machuca, Senhor...
Queria mesmo era pedir socorro pra ver
o que tal demônio poderia fazer
E em minha cabeça algo implorava, pedia
Por favor!!! Seja tudo que eu queria...
O perverso lobo e o  carrasco
Não me dá chance, se eu tentar
das tuas mãos e prisão escapar
acorrenta-me, prenda-me em cadeado
seja para mim o pior diabo
Me faz em teu inferno...
No paraíso acordar.

CRÉDITOS: Bruna
Me masturbo diante do Padre no altar
com certeza ele não pensará em santos
mas no gosto da carne em sua língua à roçar...
Cuspo na igreja que prega o que não faz
Cuspo na domesticação fétida dos humanos
baseada na hipocrisia dos seus sorrisos...
Cuspo na remissão dos pecados
que exclui atrocidades cometidas desde a inquisição
E todas as suas chatas beatas mando para o tanque 
lavar minhas calcinhas sujas de gozo.
Não sou flor que se cheire
Muito pior que cansanção
Cadela filha do cão!!!
Cadela filha do cão!!!
No meio das pernas tenho do inferno o fogo
e meu clitóris é a hóstia do templo, 
da minha igreja que teu membro rígido invade pra comungar
Vem molhar tua boca na água benta
que sai das minhas entranhas
Me chama de puta, cadela vadia
verme, asqueroso lixo, a pior cria
Sou bicho do mato
égua selvagem no pasto
Pra tua fúria primitiva montar
entre cangalha e esporas 
Faz meu corpo de quatro inteiro sangrar
égua safada vaca puta cadela
Sou tudo num só lugar
Pega tua faca afiada e me fatia
Separa em partes e me come até cansar
Não sou flor que se cheire
Muito pior que cansanção
Cadela filha do cão!!!
Cadela filha do cão!!!

CRÉDITOS: Bruna

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

No tempo que eu podia voar te achei
E te quis por algumas horas,
Nesse tempo sem data,
Num lugar escondido da mente, eu sonhei.

Pequenas horas que ganharam imensidão,
Um tempo que o relógio não soube contar.
Tempo que não podíamos conter a emoção,
Nada que pudéssemos controlar.

Começo e fim escritos nos olhos,
De uma pequena fuga que persiste em nos perseguir.
Como eu poderei ir em paz se eu olhar teus olhos?
Se por dentro você chama, não me deixa partir.

Minha alma que espalhei em tua cama,
Aos pedaços não posso recolher,
E por dentro me queima a chama,
Dessa dor e desse prazer.

De pequenos momentos, grandes dias foram,
Que passamos dentro de nós.
Abandono estes dias e que outros corram,
Esqueçamos desse tempo amigo e algoz.

CRÉDITOS: Aline Capistrano

Rastro de verbos
perdidos ao espaço
estranho laço
entrelaço
de momento
tranças de tempo
e realidade
risos de felicidade
lágrimas de saciedade
incoerência?
Não
vivência de um coração em falência
alegria de rufião
tão poucos "sins"
um bocado de não

CRÉDITOS: ANA LYRA
Vocês sabem, 
Não é novidade,
Aquelas noites de tremenda satisfação com nós próprios,
Embelezado por um balcão onde apoiamos os cotovelos,
E olhamos fixamente um copo de gin tónico,
E os casais de namorados sentados a beijarem-se intensamente ao som da música,
Os dardos arremessados contra o alvo com uma força e vontade como aquela que sentimos,
Quando desejamos matar alguém, como o nosso colega de trabalho por exemplo,
Ou até a própria alma.
Oh noite como és divina!
Com teus bares que abrigam solitários,
E as ruas que se tornam suportáveis aos olhos cegos pela escuridão,
E o riso simpático, de lascivas que em cada palavra dita se lê orgasmo.
É nestes momentos que verdades e formas humanas se soltam,
Ao meu lado duas gajas comem-se discreta e atrevidamente na essência que as une,
Alguns olham.
Eu pelo contrário fico com um barrote do caralho quase a rebentar a merda do fecho das calças.
Só tu beleza nocturna,
Para me dares vontade de viver onde ainda há gente que passa fome,
Crianças são fornicadas pela nata da sociedade que homens e mulheres veneram,
O teu encanto brindado pelo brilho das estrelas,
Que me lembra os olhos de uma mulher,
O vento que se levanta,
Papeis a rolar e um vagabundo que se aconchega,
E eu continuo a existir,
Feliz,
No balcão de um bar,
Perdido em sentimentos.

CRÉDITOS: JGFFIGUEIREDO
REENCONTRO

Tu vens como trem que chega cedo
Mas passa reto da parada da estação...
Tu ou me abraças ou me negas
Mas como te entregas às refregas sem reservas
De meus versos acesos...
Tu me recebes. De mãos entregues, soergues-me
Como a reconstruir um prédio paquiderme
Que minha derme cimentada,
Desenfreada, esfrega ao reverso da tua pele...
E tu, em carne, me encontras...
Contra a contra...
Cativada, perdes o senso do que me pedes...
E perdidos, ambos, revolvidos e resolvidos
Pela solidão nua de estarmos unidos
Olhamos a imensidão nas íris um do outro
Neste barco sem remos navegado em nós.
E vamos...
Soltos, em pós, aos debulhos e empuxos...
Pois há de nos achegar ao menos uma ilha...
Uma mísera ilha vazia há de nos aconchegar...

CRÉDITO: GÊ MUNIZ

MÊDO?

Medo?
De ti não tenho.
Tenho medo de mim.
De não negar-te nada
De ir muito além do que imaginei
Medo?
De ti não tenho.
Tenho medo do que trago em mim.
Dos desejos adormecidos e escondidos
Que pelo brilho em seus olhos
Já descobriu onde estão
Medo?
De ti não tenho.
Tenho medo é de mim

CRÉDITOS: Susana..

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Te desejo Nesta Semana
Paciência para as dificuldades
Tolerância para as diferenças
Benevolência para os equívocos
Misericórdias para os erros
Perdão para as ofensas
Equilíbrios para os desejos
Sensatez para as escolhas
Sensibilidades para os olhos
Delicadezas para as palavras
Coragem para as provas
Fé para as conquistas
E amor para todas as ocasiões..."

.autor desconhecido

SONHO IMPOSSÍVEL

"Sonhar
Mais um sonho impossível
Lutar
Quando é fácil ceder
Vencer o inimigo invencível
Negar quando a regra é vender
Sofrer a tortura implacável
Romper a incabível prisão
Voar num limite improvável
Tocar o inacessível chão
É minha lei, é minha questão
Virar esse mundo
Cravar esse chão
Não me importa saber
Se é terrível demais
Quantas guerras terei que vencer
Por um pouco de paz
E amanhã, se esse chão que eu beijei
For meu leito e perdão
Vou saber que valeu delirar
E morrer de paixão
E assim, seja lá como for
Vai ter fim a infinita aflição
E o mundo vai ver uma flor
Brotar do impossível chão

sábado, 13 de novembro de 2010


Amor entre as "Metades de uma Alma"



...Se o desejo de ser amado for mais forte
e você se prender a alguém com insistência,
ele se aborrecerá
e acabará se afastando de você.
O primeiro estágio do amor é a simpatia.
A simpatia aumenta e se torna apego,
e nesse estágio há sofrimentos e alegrias.
A alegria proveniente do amor-apego
vem sempre acompanhada de angústias e sofrimentos.
A alegria absoluta, que não vem acompanhada
de sofrimentos nem de angústias,
só será obtida quando o seu amor evoluir mais.
Só será obtida quando você abandonar o apego
e deixar o outro totalmente livre.
Quando você soltar o outro,
ele voltará a você espontaneamente,
com amor sincero,
porque ele, originalmente,
é a outra metade da sua alma.

As coisas simples são as mais poderosas.
Qualquer um pode sugerir uma solução
complicada para um problema, porém,
o verdadeiro gênio é capaz de
encontrar uma solução simples e elegante.
Para adquirirmos aptidão para a
simplicidade, devemos experimentar
a vida de forma direta. Devemos procurar
o verdadeiro sentido das coisas e não
complexos significados ocultos.
Para podermos experimentar o
sereno poder da simplicidade,
devemos aquietar a ira, a inveja,
o remorso, a preocupação e a decepção.
A simplicidade vive na beleza
e na honestidade. A simplicidade
pode envolver o mundo inteiro,
sem ser consumida por ele.
Aceite as coisas como elas são e
você alcançará o poder da simplicidade.

sexta-feira, 12 de novembro de 2010


A vida me ensinou...

A dizer adeus às pessoas que amo, sem tirá-las do meu coração;
Sorrir às pessoas que não gostam de mim,
Para mostrá-las que sou diferente do que elas pensam;
Fazer de conta que tudo está bem quando isso não é verdade, para que eu possa acreditar que tudo vai mudar;
Calar-me para ouvir; aprender com meus erros.
Afinal eu posso ser sempre melhor.
A lutar contra as injustiças; sorrir quando o que mais desejo é gritar todas as minhas dores para o mundo.
A ser forte quando os que amo estão com problemas;
Ser carinhoso com todos que precisam do meu carinho;
Ouvir a todos que só precisam desabafar;
Amar aos que me machucam ou querem fazer de mim depósito de suas frustrações e desafetos;
Perdoar incondicionalmente, pois já precisei desse perdão;
Amar incondicionalmente, pois também preciso desse amor;
A alegrar a quem precisa;
A pedir perdão;
A sonhar acordado;
A acordar para a realidade (sempre que fosse necessário);
A aproveitar cada instante de felicidade;
A chorar de saudade sem vergonha de demonstrar;
Me ensinou a ter olhos para "ver e ouvir estrelas",
embora nem sempre consiga entendê-las;
A ver o encanto do pôr-do-sol;
A sentir a dor do adeus e do que se acaba, sempre lutando para preservar tudo o que é importante para a felicidade do meu ser;
A abrir minhas janelas para o amor;
A não temer o futuro;
Me ensinou e está me ensinando a aproveitar o presente, como um presente que da vida recebi, e usá-lo como um diamante que eu mesmo tenha que lapidar, lhe dando forma da maneira que eu escolher

CRÉDITOS: Charles Chaplin (É ÓBVIO)