www.eroticoeprofano.blogspot.com

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Simplesmente... VEM...

Homem de fala mansa, nem sei como é Teu doce olhar,
Invadiste minha alma com a sublime força do querer,
Roubou de mim a preciosidade do calar-me
me fez falar de coisas inimagináveis, tomou meus segredos de amor para ti
me amou mesmo sem saber, te desejei mesmo sem poder.
arrancou do meu peito o vazio de uma solidão tenebrosa
abriu um novo espaço para eu viver a mais bela historia não mais fantasiosa
Veio de longe ou não veio, mas eu fui ao teu encontro na alma, nos sonhos na minha entrega.
Um homem pacato, nada declarado em teus desejos
mas profano em seu pensamentos
me tirou as asas da anja menina, me levou ao caos da paixão escondida.
me tornou devassa a alma, profano o corpo e insano os pensamentos
não olho para o além sem vê-lo a me olhar.
sinto Teu desejo ainda calado, ainda escondido ainda guardado
Vem Homem meu, se abra, me ame, me rasgue, me use,
saia do silêncio que nos consome, me assume e se una as minhas paixões.
Vem Dono de meus encantos, de meus prantos de meu AMOR.
Assim me entrego, assim me dou, assim eu sou
Tua pequena menina, tua cadela vadia, tua loucura escondida, teu vulcão em erupção
Tua doida mulher, mas tua mulher, no corpo e na alma...
nossas almas se encontraram, se desejaram, se amarram e assim ira permanecer...
Então...Simplesmente... VEM...




Postado por {ynne}~pupila

Dominação ou Mau-caratismo?

Às portas de 2010 completará 10 anos que estou no SM. Voltando um pouco no tempo, lembro-me que os primeiros contatos que tive com o meio eram feitos por meio de anúncios publicados no Jornal SM - Sarah Domina - escritos pelo Grego no Rio de Janeiro. As pessoas liam os anúncios e se comunicavam via Caixa Postal do Correio. Esperávamos vários dias para obter a resposta de uma correspondência, isto quando a recebíamos. Nessa época o acesso à Internet no Brasil ainda era muito limitado, sobretudo para a difusão de temas polêmicos como o SM.
Participei de reuniões do “Grupo SoMos”, grupo criado em São Paulo que deu origem a se pensar no SM na coletividade. Frequentei o original Vahalha – Primeiro clube com temática SM, também em São Paulo – que tinha como proprietários Mistress Barbara Reine e o Sádico Klaus. Não consigo contar quantas vezes fui ao Clube Dominna, participei de Plays-Party, encontros sociais em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e em Brasília. Ministrei algumas palestras, conversei com muitos Dominadores, submissas e também curiosos. Frequentar o meio SM com regularidade justificou-se pela necessidade que tive de sair do mundo da fantasia imaginária e conhecer as pessoas reais que partilhavam das mesmas idéias, concepções e gostos que eu, o que a meu ver é uma rica troca de experiências.
Nas situações que tenho vivenciado ao frequentar meios virtuais de SM, chama-me a atenção a quantidade de sites, blogs, anúncios, Orkut e outros, onde pseudo-dominadores afirmam ter até 40 anos de experiências no SM. Alguns chegam a se autointitular precursores do movimento BDSM no Brasil. Não que não existam, mas geralmente são pessoas que existem somente no meio virtual e para não se identificarem inventam histórias mirabolantes.
O que não dá para entender é que vivendo em plena era da informação, – onde cada vez mais as pessoas são fotografadas, filmadas, têm suas conversas telefônicas grampeadas, o próprio aumento da violência e a marginalidade no Brasil fizeram com que as pessoas passassem a viver em constante estado de vigilância – um número considerável de submissas (uso os termos Dominador e submissa, porque esta é a minha realidade, mas vale também para os papéis inversos e de ambos os sexos), na ânsia de viver suas fantasias, ainda se deixem levar por este tipo de pessoas que se dizem Dominadores.
Preocupa-me – e isso se torna cada vez mais comum – ouvir histórias de pseudo-dominadores que já têm um discurso pronto de rico repertório: afirmam ter nascido com o chicote na mão, dizem saber tudo de tudo, sempre têm várias escravas, namoradas baunilhas e nunca se apaixonam por escravas. Esses pseudo-dominadores no começo até ensaiam uma prática aqui outra ali, mas prometem muito mais do que sequer têm noção; fazem tantas proezas até o dia que as escravas se cansam, devolvem suas coleiras e aí sim, as máscaras dos indivíduos caem.
A partir de então, esses indivíduos passam a retratar suas verdadeiras identidades, quando, de posse de informações que suas ex-escravas lhes confiaram, esses “poderosos ordinários” passam a usá-las como instrumento de chantagem. Fazem ameaças em níveis sórdidos e do mais baixo calão expondo-as de forma vil diante de suas famílias, no trabalho e até mesmo no seu círculo de amigos. São práticas comuns desses sujeitos: uso de senhas pessoais, envio de fotos de sessão, golpes financeiros, telefonemas e emails degradantes. Isto sem contar aqueles que acabam causando danos físicos, às vezes, irreversíveis como marcar a escrava com ferro quente num primeiro encontro. Estas e uma infinidade de outras práticas e atitudes espúrias e criminosas têm acontecido em nome do autêntico BDSM. Fora a esses pseudo-dominadores!
Nunca é demais reforçar o estado de ALERTA: “dominador” que nunca pode aparecer provavelmente não é capaz de realizar a fantasia dele muito menos a sua. Procure se informar no meio sobre a pessoa, ninguém o conhece pessoalmente, ou nunca ouviu falar, fique atenta. Não se sustenta financeiramente e precisa que você pague suas contas, alegando que tudo não passa de uma fantasia, isso tem outro nome. Caso ele afirme que para ser submissa você tem que fornecer suas senhas do email pessoal, de cartões de crédito, saia de fininho.
É preciso que a escrava entenda que fantasia e realidade não se confundem. Quer viver o BDSM de forma segura? Crie uma conta de email específica para isto, MSN, Orkut e outros afins. De preferência nem comente que você usa esses recursos virtuais no seu mundo baunilha, vai evitar muitos aborrecimentos.
Caso a escrava esteja à procura de um Dono, é imperativo que ela gaste um bom tempo conhecendo o homem que está por de trás da personagem. Informe-se o máximo possível, pois ansiedade e confiança demasiada no incerto são os piores inimigos. Não sentiu firmeza? Recue! Muitas vezes é melhor dar um passo para trás e de forma segura e prazerosa seguir adiante. Lembre-se de que o objetivo do SM é ter prazer, é respeitar o que é São, Seguro e de livre escolha de ambas as partes. Afinal, Dominação não se confunde com mau-caratismo!


Saudações, Mestre K@!

"MANDA QUEM PÓDE, OBEDECE QUEM TEM JUIZO"

Uma das coisas que estou proibida de fazer e de servir meu marido sem a ordem do meu dono, e ontem meu mestre me ordenou que eu servisse ao meu marido fazendo-lhe um boquete. Quando fomos dormir, eu sabia que precisava fazer aquele boquete, mas sem permitir que ele me tocasse qualquer outro buraco. Nós então nos deitamos, e eu o abracei, no meio do abraço eu comecei a fazer um carinho nele, e desci minha mão até o pau dele.
Logo percebi que ele estava duro, e por baixo da coberta eu desci a minha cabeça ate que minha boca tocasse o pau dele, eu então suguei as bolas dele, subi com a minha boca ate a cabeça do pau dele, com cuidado eu comecei a sugar o pau do meu marido, a minha buceta latejava de tesão, não pelo boquete, mas por meu mestre que não me saia da cabeça, era como se eu o chupasse no lugar de chupar meu marido.
O meu marido começou a segurar meu cabelo, o que aumentou a sensação de que eu estava ali, servindo ao meu mestre, eu brincava com o pau dele junto da minha língua e sugava com carinho, dando atenção especial a cabeça do pau dele, da forma que eu sei que ele gosta.
Não demorou muito meu marido encheu minha boca de porra, e eu engoli cada gota, sem desperdiçar nada.
Depois me deitei de lado, e dormi.. ou pelo menos tentei... pois minha cabeça não deixava e eu havia atendido o primeiro cliente por ordem do meu dono.. e esse cliente era o meu marido.


Postado por xana ctba

"ERRAR, É HUMANO, PERSISTIR NO ERRO...SEI LÁ O QUE É!"

“Herrar é umano”, mas reincidir tanto no erro é admissível?


Uma das principais causas de prazer e também de desconforto numa relação D/s é o erro. Digo prazer porque é por meio pelo qual o Dominador justificar um castigo a ser aplicado na escrava. E também é esse mesmo erro que faz a escrava ficar numa situação ruim, sentimento de culpa, medo de reincidência e tristeza por ter desagrado o Dono. E por mais que o Dono diga que normal errar, não tem escrava que consiga lidar com isso com tranqüilidade.
Muito já se falou e escreveu sobre o erro nos relacionamentos BDSM, o Mestre já discutiu sobre isso em dois momentos no site: Erros, por que não cometê-los? e A lógica do erro. E se venho trazer novamente esse assunto para discussão é porque o vejo como uma caixinha de pandora, que cada vez mais tem provocado inquietações tanto em quem domina como em quem é dominado.
Falando especificamente do Reino de K@, mas sei que isso acontece em outras vivências também, o erro acaba sendo a mola que impulsiona e mobiliza tudo que acontece num relacionamento D/s. A escrava erra, o Dono ensina mais de uma vez, depois adverte, a escrava pede perdão, mas volta a errar novamente, até que vem o castigo e assim sucessivamente.
Pensando por um lado esse jogo é bem excitante, pois a cobrança do erro torna-se cada vez mais sádica e prazerosa. A escrava por sua vez tem oportunidade de dar mais prazer para o Dono, mas ao mesmo tempo sofre. Dói mais ser castigada por um erro cometido (reincidência nem se fala), do que pelo simples prazer do Dono.
Mas por outro lado, o que leva uma escrava a errar repetidas vezes o mesmo erro? Até que ponto essa prática se justifica numa relação D/s? Tencionaria ela proporcionar mais prazer para o seu Dono? É sabido que a maioria das escravas não lida muito bem com o erro, então porque erram tanto a mesma coisa se o desejo é ver o Dono feliz? E como o Dominador vê essa situação? Sente prazer sempre com os erros da escrava?
Responder a essas questões não é tão fácil, pois demanda diversos fatores que envolvem os relacionamentos D/s. O que expresso aqui sobre essa questão é fruto de minhas percepções oriundas de um bom tempo que tenho no SM, onde tive a oportunidade de conviver com muita gente. E também por experiências dos meus próprios erros, aliás, que cometo bem mais do que eu gostaria...rs.
Usar o trocadilho “herrar é umano” foi proposital; nós escravas erramos de todas as formas, desde os erros mais bobos, até erros graves. Errar é humano sim e que estamos sujeitos a repeti-los mais de uma vez: por desatenção, falta de motivação, desinteresse, medo de errar, insegurança, pressão psicológica e outros.
Mas chega um ponto que essa reincidência tem limite. Nenhum Dominador se sente tranquilo com a escrava que não conseguem vencer pequenos obstáculos e acertar o mínimo, por mais que Ele sinta prazer no erro, a constância deles passa a ser preocupante. Da mesma forma, nenhuma escrava que não consegue acertar quase nada, se sente bem com isso.
Dias atrás foi feita uma enquete no site do Reino sobre esse assunto e o resultado foi surpreendente: O motivo de erros sucessivos e incontroláveis cometidos por uma escrava é: 45% das pessoas escolheram a falta de sintonia com a fantasia do Dono, 31% desmotivação com a fantasia SM, 14% algo angustiante e inexplicável e 6% falta de atenção. Totalizando 96 votos. Isso nos leva a observar que a causa dos erros constantes é um pouco mais complexa do que uma simples desatenção.
Percebo que para muitas escravas que entram no SM, no início tudo são flores, mas quando a coleira começa a apertar e elas são chamadas a viver de fato a sua submissão, as coisas complicam. As expectativas mudam muitas vezes e também a realidade que encontram é bem diferente do sonho idealizado. A rotina cansa, estressa, desmotiva, o vislumbre de ter com o Dono mais do que Ele tem para oferecer começa a incomodar e como consequência a disposição para cumprir tarefinhas rotineiras já não encanta tanto mais. Aí que os erros constantes aparecem... até o limite do suportável.
Vejo que nessa hora o diálogo franco é fundamental para aparar as arestas, onde Dono e escrava possam rever os propósitos da relação; se for o caso, decidem juntos tomar caminhos diferentes, ou retomar a vivência de forma madura. O que para mim é paranóia é a escrava com medo de perder o Dono, ficar se violentando e simulando uma felicidade que está longe de sentir. A relação D/s é muito prazerosa, mas é difícil também e requer renúncias que nem sempre estamos preparadas para oferecer.
Como eu não acredito em consensualidade dentro do SM, vejo que é necessário que a escrava tenha uma verdadeira apetência pela fantasia do Dono, caso contrário, não se enquadra e vai continuar “herrando umanamente” muito e infeliz. E se optamos por viver o SM é pela busca do prazer e para viver momentos felizes, não dá para ser diferente. O erro é prazeroso e se justifica mas não o excesso dele.

CRÉDITOS: por: kalía - K@
Em tua cama não sou só corpo, sou alma

Teu corpo não é apenas desejo, é berço
Não tenho mais como fugir de ti
Teus lábios vermelhos prenderam-me
Numa teia de palavras safadas...
Deleitosas, liquidas, incoerentes
Faladas, sussurradas, gritadas...
Sou andarilho no caminho de teus pecados
Sou anjo seduzido aninhado entre tuas pernas
Absorto na emoção do gozo ansiado
Afogado no suor da ação de teu sexo
Encontro-me perdido em tua branca carne
Vagando entre céus e infernos
Em louco vôo de prazer sem volta
Descobrindo do porque nascemos
Lasciva paixão para qual vivemos
Minha alma agora em teu corpo tem o peso da luz
Meu corpo agora em tua alma tem o gosto do amor

DEPOIMENTO DE UMA CADELA FELIZ! - PARTE XI

Acordei, e não consigo mais dormir, estou aqui deitada lembrando dos meus momentos que passei com o Senhor.

Todos os seus toques em meu corpo estão gravados na minha mente e no meu coração.
Lembro de cada momento daquele dia ...
A primeira vez que fomos para um motel...
Foi intenso... meu corpo todo tremia, minha carne tremia, uma sensação de entrega e de medo tomava conta de mim naquele momento, quando o Senhor colocou seu cinto no meu pescoço, me puxava pelo quarto, me jogando ao chão me mostrando como eu deveria ser daquele dia em diante, (uma cadela), colocou de rosto no chão e com uma força tremenda me penetrou, naquele momento minha alma saiu do meu corpo, eu estava completamente entregue, minha buceta era tomada por seu pau, que me enchia de prazeres.
Ao fechar meus olhos, lembro de cada segundo que vivi dentro daquele quarto.
Vem na minha memória, o Senhor dizendo com voz firme:
- Minha cadela... Esta gostando minha cadela? minha puta, me batia com muita força, erguia minha cabeça me puxando pelos cabelos, encostava meu corpo com força contra a parede e penetrava minha buceta com vontade, seus tapas por todo o meu corpo e em meu rosto, quando um gosto de sangue eu sinto na minha boca... mas o prazer que eu sentia naquele momento, era algo maravilhoso. O prazer que eu sentia naquele momento eu só consigo descrever de uma forma.
Muito obrigada!!!
E gozei intensamente...

VOLUPIA

Solver Os desejos
E sentir
O toque,
Toque da pele
Do olhar
Olhar que
Envolve
A alma
Que brilha
Contente
De prazer.
Dominação
Eloqüente
Submissão
Reluzente
Solver
Os delírios
Aguçando
A libido
Volúpia
Explodindo
Corpos unidos
Vibrações
Fluindo
Satisfação
Surgindo
Vontades
Consumindo
Realização
Sorrindo
E a pura
Felicidade
Existindo


CRÉDITOS: klara K@

DEPOIMENTO DE UMA CADELA FELIZ! - PARTE X

os seus desejos é o meu dever, assim como obedecer suas ordens e proporcionar momentos de prazer tudo isso é minha obrigação e eu procuro executar tudo com carinho e dedicação.

Mais uma vez, com tanto carinho eu me preparo para mais um encontro, suas ordens previamente ditas soavam na minha mente a todo instante, sempre procuro ser uma cadela obediente, dedicada e carinhosa. Sim senhor, sabia tudo o que eu tinha que fazer...
Me preparando para te receber, meu corpo já sentia calafrios, calores, tremores, meu coração palpitava fortemente, ansiedade a flor da pele, mãos e pés suavam, meu senhor chegaria a qualquer instante... vestindo o meu espartilho preto de cetim, acendendo as velas, preparando o ambiente para sua chegada, vou então para a posição nadu.
Sua vos no meu ouvido:
-Huuummmm, cadela
Senhor, minha carne tremia...
Sua presença ... fazia meu sangue ferver de desejo.
Ao sentir suas mãos explorando meu corpo.. minha buceta, me amarrando e me jogando aos seus pés...
Que sensação maravilhosa...
O aperto do espartilho, e a sua penetração forte na minha buceta, me lavavam a loucura!!!
Ao me puxar pela guia e me por aos seus pes, sentindo a parafina derretida escorrendo pelos meus braços e pelas minhas costas, ali eu estava em profundo êxtase, meu corpo queria agradecer por estar me proporcionando tanto prazer.
Seu kct penetrando meu cú fortemente...Ah!
Minha vontade era que aquele momento se eternizasse ...
Mas o momento crucial ainda estava por vir... foi sentir senhor, seu pau invadindo minha garganta profundamente.
Quero sempre me dedicar ao máximo ao Senhor, pois não sei se consigo viver sem sua presença em minha vida...


Muito obrigada!!!
HOJE QUERO SEU BEIJO MAIS MOLHADO, BEIJO QUE ME EXCITA, QUE ME PROVOCA.

QUERO SENTIR MINHAS MÃOS MACIAS DESLIZANDO PELO SEU CORPO
SENTIDO SUAS CURVAS, APERTO SEUS CONTORNOS.
ME PERCO, ME ALUCINO AO TOCAR TEUS SEIOS, TE CHUPO GOSTOSO.
LINGUA PASSANDO DE LEVE EM SEUS BICOS ERIÇADOS PELO DESEJO.
PERNAS ABERTAS ME CONVIDAM A PROVAR DO TEU GOSTO QUE ESCORRE
EM SEUS LABIOS E SUAS COXAS.
ME AJEITO, ME PERCO COM LAMBIDAS PROFUNDAS ATÉ QUE SEUS
GRITOS DENUNCIAM SEU GOZO.
MEU MEMBRO RIJO SALTA A SUA FRENTE E SUA BOCA GULOSA
ABOCANHA, SORRATEIRA E SEDENTA DE DESEJOS.
COM SEUS MOVIMENTOS, VAI AUMENTANDO.
PUXO SEUS CABELOS FORÇANDO O IR E VIR ATÉ SENTIR
O JATO QUE INUNDA SUA GARGANTA.
ME DEITO COM VC CAVALGANDO, SE ENCAIXANDO E DESLIZANDO
COM MEU MEMBRO NA SUA GRUTA ASSANHADA.
MINHAS MÃOS INQUIÉTAS APERTAM SUA BUNDA, MEUS DEDOS
INVADEM TUAS ENTRANHAS.
NO SEU GOSTOSO REBOLADO ACELERADO, GOZAMOS.
NOSSOS CORPOS ABRAÇADOS, EXATASIADOS NUMA CUMPLICIDADES
ÚNICA DE TANTO AMOR E MUITO TESÃO

DEPOIMENTO DE UMA CADELA FELIZ! - PARTE IX

Outro dia maravilhoso...

Quando me chamou no msn, dizendo que queria passar a tarde comigo, e fomos para um outro motel.
Ao chegar na garagem meu coração já começava a bater fora do ritmo normal, a emoção tomava conta de mim, a venda nos olhos já na porta do quarto e o Senhor me guiando me levou até a parede e me põe as algemas e as tornozeleiras fortemente apertadas.
E então levanta meu vestido, rasga a minha meia fina e sua voz no meu ouvido dizendo:
-Cadela gostosa...
-Voce tem dono puta...
-Voce é minha cadela bunduda gostosa...
Na escuridão total, eu sentia somente que o senhor se afastava e se aproximava, e cada vez que se aproximava vinha bem perto do meu ouvido e dizia novamente...
-Puta, vc é minha cadela.
Meu corpo tremia...a minha vontade de pedir para o senhor me penetrar era muito intensa, mas sabia que eu naquela hora e sempre não tenho voz pra nada, então tremendo de vontade de ser fortemente invadida me calava e sentia somente o latejar da minha buceta e a umidade que brotava dentro dela.
Quando colocou a coleira em mim e me puxando pelo quanto e me direcionando ate a jaula onde novamente me algemou, vendada eu não tinha a menor noção do que poderia vir pela frente, mas eu sentia uma segurança total, eu estava com o senhor afinal de contas ...
O chicote era carinho no meu corpo, ao pegar fortemente pelos cabelos virar meu rosto e me beijar apertando meu rosto minha boca, o desejo crescia dentro de mim.
Ao sair da jaula puxada como uma cadela eu cai, pensei que iria apanhar por não ter me posicionado de forma correta, mas o senhor foi muito compreensivo comigo, e sempre me guiando me levou até o banco e me posicionou de quatro na guilhotina, minha buceta estava completamente alagada, e latejava de tanto prazer, o prazer que eu sentia naquele dia, naquele instante, eu não consigo descrever com palavras... só de lembrar daquele dia eu estou aqui agora toda molhada, minha buceta esta umedecendo minha calcinha.
Senti seu pau aproximar na minha boca, sem me mover, completamente nas suas mãos... dominada...imobilizada...
Então o momento que eu esperava com muita ansiedade acontece... meu rabo, foi possuído com força pelo Senhor, a dor e o prazer se misturavam com felicidade por ser possuída pelo homem que eu amo... eu não consigo explicar ... eu naquela hora senti todas as emoções que um corpo poderia sentir.. prazer, felicidade, dor, plenitude...
Que dia maravilhoso senhor... jamais esquecerei...


Muito obrigada!!!!

LAPIDAÇÃO

Esse é um trabalho para a vida inteira: Ninguém se iluda, é uma tarefa cansativa e, às vezes, muito dolorosa! Mas só ela nos permite realizar a grande alquimia interior, transformando, lapidando e revelando as facetas mais belas e preciosas da nossa natureza. Somos todos como o diamante, uma pedra extremamente delicada, bela e de significativo valor, que precisa da lapidação, precisa da talha bem feita, pois é ela que traz toda a protuberância de seu foco, quanto mais bem feito o entalhe da pedra, mais admirável é o resultado.
O valor do diamante é medido pelo seu grau de pureza e pela sua forma após a lapidação, assim acontece conosco também.
Somos como a pedra, delicada, bela e de significativo valor, mas, para chegar a ser um diamante, precisamos viver o processo.
A diferença, é que o homem tem a oportunidade de ser seu próprio artista, o processo de melhoria de pedra bruta para pedra preciosa depende do que fazemos e buscamos ser continuamente.
Vou arriscar dizer! O primeiro passo, para quem ainda não iniciou a própria lapidagem, é apenas a pré-disposição para querer se descobrir uma pessoa capaz de passar pelo mundo e fazer a diferença.
Como artífice, podemos também estudar nosso interior: traçar metas, rever atitudes, nos esforçamos, sermos organizados e principalmente nos questionarmos. Tudo para que o entalhe saia perfeito e possamos alcançar com sucesso o desejo que temos no coração: “ser uma pessoa melhor para nós e para as pessoas que fazem parte de nossa trajetória.”
O diamante tosco sofre as pancadas do entalhe. É a arte operando sobre ele. A vida sacrifica às vezes. É o aprimoramento da alma, da essência humana, quanto mais exata a batida, mais valiosa será a pedra.
Somos assim, diamantes pela valia, pela força e resistência. Pedra preciosa que esconde atrás da grosseira aparência, um brilho peculiar disfarçado. Somos a pedra que precisa ser minuciosamente trabalhada para mostrar os mais belos atributos encobertos no âmago, sob ásperas camadas adquiridas ao longo dos anos.
Este brilho almejado é o que se converte naturalmente em gestos de amor. É o brilho de intensa e irradiante luz, capaz de iluminar outras pedras tão ou mais preciosas que nós. Este sim é o brilho da verdadeira e mais rara jóia.


Detalhe!


Nem sempre somos capazes sozinhos, então é preciso se “ENTREGAR” a um artista. Cuidado! Para se conseguir lapidar um diamante, é necessário outro material que seja no mínimo da mesma dureza que ele próprio. E olhe só, apenas o diamante é tão duro quanto o diamante, você precisará se colocar nas mãos de um artista tão duro quanto você, para lapidar certas arestas, que você não conseguiria sozinho.
O artista é paciente. Lapidar um diamante pode levar dias, meses, anos. Então ele estuda a pedra: seu tamanho, peso e forma. Demarca o objeto, mede e aprecia por outro ângulo.
A lapidação exige precisão, destreza, disciplina, habilidade, firmeza e sensibilidade, pois “cada pedra é única”. Suas raras mãos anseiam trazer aos olhos o brilho escondido no interior daquela pedra rude.
Cuidadoso, dia após dia, o lapidador trabalha fielmente até o resultado por ele esperado. A simetria é precisa, o polimento fino e as facetas estão em conjunção umas com as outras, jogando entre si luzes, presenteando seus olhos.


Ele fica orgulhoso!


E nós? Ganhamos o brilho reluzente pela coragem de se entregar a um processo duro e longo, mas de um resultado único, que só quem se entregar poderá compreender.




OBS: ESTE TEXTO FOI INTEGRALMENTE EXTRAÍDO DO REINO DE K@, E POSTADO POR kariane { K@ }

DEPOIMENTO DE UMA CADELA FELIZ! - PARTE VIII

Em uma conversa no msn com meu Dono, eu, por impulso, movida pela insegurança e pelo ciúme, desagradei meu Dono profundamente com minhas atitudes. Arrependida minutos depois numa crise de choro refletia o que eu tinha feito, agora o sentimento de ter desagradado meu Dono era muito maior do que os meus.

Acordei cedinho no outro dia, era sábado, ainda triste, arrependida, me sentindo a pior das escravas, fui para o banho, debaixo do chuveiro o choro vem novamente, deslizando meu corpo pela parede sentei no chão, chorando compulsivamente, fiquei ali por um bom tempo, sentindo a água quente cair pelo meu corpo pensando na grande besteira que tinha feito, pondo minhas vontades acima das vontades do meu dono. Saí do banho, fui para frente do computador, e comecei a digitar tudo o que eu sentia naquele momento, todo o meu arrependimento eu precisava falar com meu dono, pedir seu perdão, então mandei um email com o meu juramento.
Me sentindo um pouco mais leve, sai de casa para comprar algumas coisas que precisava para o meu apartamento novo, ao sair de uma loja, olho para o outro lado da rua e vejo um sex shop, resolvi ir até lá. Vi livros, langeries, cremes, mas nada me despertava interesse, ao entrar em outro corredor vejo um chicote...
Então pensei...
Vou comprar...
Peguei o chicote fui ao caixa, e pedi que embrulhasse para presente. Saio da loja e continuo a fazer minhas compras... Uma mensagem no celular...uma mensagem do meu Dono...
eu tremia, choro e alegria....
a mensagem era...
“ onde vc esta kadela?
Rapidamente respondo:
- No centro Senhor, pesquisando preços de cama.
Nova mensagem chega...
“Cama? Hummm , muito bom, e o tapetinho no chão? respondo...
- Com certeza senhor...
Fui pra casa um pouco melhor, assim passei meu fim de semana...
Segunda - feira, logo cedo recebo uma ligação, era o proprietário do apartamento dizendo que as chaves estavam a minha disposição, dei a noticia ao meu Dono e fui correndo buscar...
Marcamos de nos encontrar no fim do dia no apartamento...
Chegamos no apartamento, meu Dono me abraçou e disse no meu ouvido...
“Parabéns cadela... parabéns pelo seu canilzinho.
Mas nem eu e nem meu Dono tínhamos esquecido do erro que eu tinha cometido, eu sabia que a punição viria, então disse ao meu dono...
- Senhor tem um mimo para o senhor dentro da minha bolsa...
Meu Dono rasgou minha roupa, me colocou em cima de uma mesinha, penetrou seu kct extremamente duro na minha garganta, batendo fortemente no meu rosto e puxando meus cabelos ordenou que eu ficasse de quatro e foi pegar o embrulho, levemente ele passava o chicote na minha bunda, minha carne tremia, o barulho das argolas soavam como musica em meus ouvidos, quando uma forte chicotada eu recebo...
Depois outra, mais outra e varias outras, a dor dos metais batendo na minha carne era intensa, meu Dono penetrava minha buceta fortemente e dizia:
-Esta arrependida cadela?
-Sem crises daqui pra frente?
Virou minha cabeça e penetrou mais uma vez seu pau na minha garganta, ainda mais profundamente e me chicoteava sem parar, minha bunda estava cheia de vergões e pequenos cortes provocados pelos metais, Ele pegava minha mão e passava nas marcas e dizia:
Isso é pra voce aprender...
Sentou num banquinho e jogou o chicote longe e ordenou que eu fosse buscar, fui de quatro peguei com a boca, mas em um descuido o chicote caiu, Ele levantou do banquinho furioso e me repreendeu com um violento tapa no rosto, acho que Ele não viu mas eu chorei de dor...de quatro novamente Ele põe seu pau na minha boca e agora com um bastão apoiado na minha bunda e Ele dizia:


Me chupe cadela e sem derrubar o bastão entendeu?


eu cuidadosamente chupava meu dono e controlava o bastão, mas em um descuido novamente o bastão rolou e caiu, recebi varias e fortes chicotadas e mais uma vez eu chorei de dor, meu dono levanta e mais uma vez penetra fortemente seu kct incrivelmente duro na minha buceta e eu tenho um orgasmo maravilhoso, intenso, dolorido ....
E Ele também gozando na minha boca e por todo o meu corpo...
ELE ME DEIXA ALI NO CHÃO...
VESTIU SUAS ROUPAS E SAIU DIZENDO ...
DEPOIS A GENTE SE FALA...
Chamo-a erguendo a chibata, ela vem de joelhos

e se rende ao sabor dos açoites insanos;
sua boca me ordenha, e seus olhos vermelhos
têm a tara que avança os instintos humanos...
Traz o odor de senzala e trejeitos profanos,
de nobreza vulgar; sem medidas; espelhos;
mal coberta se livra dos restos de panos
que nem sei se abrigavam seus fartos pentelhos...
Sua reza é perfeita; com língua de fogo
faz um longo percurso de vício e de jogo
e me puxa pra dentro do quanto se cava...
Quando já nos vertemos em gozo e promessa,
uma voz indecente sussurra e confessa
que nasceu pro meu trono; pra ser minha escrava...

DEPOIMENTO DE UMA CADELA FELIZ! - PARTE VII

Como explicar com palavras que já fui ao céu?

Que já voei com as borboletas?
Que já nadei com golfinhos em um mar azul e tranqüilo?
Que já me aqueci em um dia lindo de sol deitada na areia branca de uma praia?
E tudo isso sem ter saído da cama de um motel?
Explico da seguinte forma:
Fui ao céu, ao sentir meu dono penetrar seu kct maravilhoso e com vigor em minha buceta. Então, o coração acelera, o fôlego some, a buceta fica úmida e latejante.
Voei com as borboletas, ao sentir um orgasmo maravilhoso, o grito sai da garganta, a visão fica turva e tudo desaparece por alguns segundos.
Nadei com golfinhos em um mar azul e tranqüilo, quando meu dono gozou sobre meu corpo. Vejo o rosto do meu Senhor sobre mim. Vejo seu sorriso, seu olhar, e entendo o quanto sou sua.
Me aqueci em um dia lindo de sol deitada na areia branca de uma praia, quando eu e meu dono deitamos lado a lado em nosso leito de amor. E um sorriso brota nos lábios, um cansaço gostoso toma conta dos nossos corpos, a respiração se acalma, a visão retorna...


Nunca senti tanto prazer.
Nunca senti tanta segurança.
Nunca senti tanta proteção.
Nunca senti tanto desejo.
Nunca fui tão feliz.
Espero ser sua para sempre.
Servi-lo é realmente um prazer absoluto!!!!!


Muito obrigada .

Crueldade


Nua, pedes que eu interrompa o canto da chibata sobre tua carne Gemes, inutilmente pela condição de dor quete impusestes
Eras livre, e te entregaste a meu desejo
Sabias-me, pervertido, devasso, e mesmo assim te ajoelhaste e puseste em
minha mão o açoite…
Cala-te!
E torna agora a ser apenas uma cria…
Como aprecio teu arrependimento!
As tuas lágrimas são doce licor.
Chora e geme pequeno animal, a longa dor que será ainda teu cativeiro…
Não vieste a mim buscar piedade
Vieste buscar teu prazer insano…
apenas esqueceste que serias antes de maia nada, prisioneira da minha insanidade!


Desconheço o autor.

UM DOM E SUA SUBMISSA

Eu sou um homem dominador... Eu sou simplesmente isto, não sou dominador por nenhuma superioridade de minha parte. Não porque me sinto mais inteligente, ou sensato... Eu não sou dominador pela massa ou força do meu corpo.
Eu não sou, e nem gostaria de ser dominador com todas as mulheres... mas para você, eu sou um Mestre.
Eu sou seu Mestre somente após ter sua confiança, e abraçado sua submissão. Eu olhei dentro de seu coração e mente e claramente vi seus desejos e paixões... Você jogou fora seus medos, vergonhas e inibições, você me fala das necessidades do seu coração e corpo. Você me deu total aceso a sua alma, e eu aceitei a responsabilidade e a honra.
Você é uma mulher e você não é inferior ou fraca por causa disto. Você é um tesouro para ser adorado. Nós não somos iguais.
Eu tenho a força do corpo e da mente, e a necessidade instintiva de proteger, possuir, defender e prover por você. Você é uma mulher com instintos fortes de desejos e coração.A sua confiança em mim me dá coragem e direcionamento, a sua força retira minhas dúvidas, suas necessidades e desejos me encorajam e dão propósito aos meus esforços.
Nós não somos iguais, meu amor, somos metades de um todo...Nós completamos um ao outro e nos fazemos completos.
O meu desejo de a dominar é instintivo. Não é para degradar você e nem é degradante para você porque você tem segurança em sua total feminilidade. Cada um de nós reconhece e aceita nosso valor, e a necessidade de alguém para preencher nossos desejos. Você está segura, forte e orgulhosa de ser feminina. Você não se submete em aceitação a inferioridade, mas por força e paixão. Você espera um Homem que seja forte e seja Homem. Você deseja florescer sob a força e o controle de um Homem. Em retorno você o presenteia com o controle sobre seu corpo, inqualificável confiança e honestidade, e a verdadeira fé de seu coração.
- Você se submete porque eu conquistei sua confiança, porque eu abri meu coração e minha alma a você.
Porque escutei suas palavras com os ouvidos e o coração, e aprendi a antecipar suas necessidades e sentimentos.
E porque provei meu valor a seus olhos, você me deu o único e verdadeiro tesouro da vida; você me deu a dominação sobre você.
O que você dá não é anormal, mas é o mais puro, natural e raro presente que uma mulher pode dar a um homem.
Você me deu completa e inabalável garantia de seu compromisso comigo...A sua submissão é um presente magnífico e uma responsabilidade sagrada. Eu aceito isto de você com humildade e alegria.
Eu entendo a raridade e a pureza deste presente. Eu reconheço que é seu corpo e alma, seu coração e mente.
Eu domino você somente porque você me permite, e quando a vejo ajoelhada em minha frente, na minha mente e em meu coração você esta suspensa acima de todas as outras mulheres, e de todos os tesouros do mundo, porque o que você me dá espontaneamente, não se pode comprar na vida.

(Autor desconhecido)

Teus seios... quando os sinto, quando os beijo

na ânsia febril de amante incontestado,
- são pólos recebendo o meu desejo,
nos momentos sublimes de pecado...
E às manhãs... quando acaso, entre lençóis
das roupagens do leito, saltam nus,
- lembram, não sei, dois lindos girassóis
fugindo à sombra e procurando a luz!...
Florações róseas de uma carne em flor
que se ostenta a tremer em dois botões
- na primavera ardente de um amor
que vive para as nossas sensações...
Túmidos... cheios... palpitantes, como
dois bagos do teu corpo de sereia,
- tem um rubro botão em cada pomo
como duas cerejas sobre a areia...
Quando os tenho nas mãos... Quantas delícias!..
Arrepiam-se, trêmulos , sensuais,
e ao contato nervoso das carícias
tocam-me o peito como dois punhais!..
Meu lúbrico prazer sempre consolo
na carne destas ondas revoltadas,
- que são como taças emborcadas
no moreno inebriante do teu colo...
Teus seios... são as fontes onde os loucos,
saciar a sede, tentam, da paixão,
- sede que mata e que sufoca aos poucos...
Teus seios!... Nada existe que os encarne!..
- São divinos pecados da Criação,
são dois poemas de amor feitos de carne!..


Poema de JG de Araujo Jorge
Eu sou o tempo que apaga

Sou a alma devota
O corpo selvagem
O amor que devora.
Sou sentimentos incertos
palavras secretas,
Sou o medo escondido
A fé reprimida.
Sou a vida derrotada
A morte sossegada,
Sou a fome e a seca
De um mundo sem rumo
Sou a música que toca
A sinfonia melódica
Sou o sofrimento ferido
O coração dividido, a esperança esquecida.
Eu... Eu sou os olhos do mundo
Porque dele não há refúgio.


(Autor desconhecido)





Ó meu Deus, ó meu dono, ó meu senhor,

Eu te saúdo, olhar do meu olhar,
Fala da minha boca a palpitar,
Gesto das minhas mãos tontas de amor!
Que te seja propício o astro e a flor,
Que a teus pés se incline a terra e o mar,
P’los séculos dos séculos sem par,
Ó meu Deus, ó meu dono, ó meu senhor!
Eu, doce e humilde escrava, te saúdo,
E, de mãos postas, em sentida prece,
Canto teus olhos de loiro e de veludo.
Ah, esse verso imenso de ansiedade,
Esse verso de amor que te fizesse
Ser eterno por toda a Eternidade!...


Autora: Florbela Espanca

ENCONTROS & DESENCONTROS

COMO NOSSA VIDA É CHEIA DE IMPREVISTOS
AS VEZES NOS DEPARAMOS COM SITUAÇÕES INUSITADAS, COISAS QUE JAMAIS ACHARIAMOS QUE VIESSE A ACONTECER.
ONTEM, DESPRETENCIOSAMENTE, PASSEANDO PELO ORKUT DA VIDA, REENCONTREI ALGUEM.
ALGUEM QUE FEZ PARTE DE UM MOMENTO BELÍSSIMO DA MINHA VIDA.
NOS ENCONTRAMOS, NUM CHAT DE BATE PAPO DA SAUDOSA AOL...NOS CONHECEMOS, NOS ENCONTRAMOS, NOS AMAMOS MUITO E NOS SEPARAMOS.
NOS BONS MOMENTOS DE INTIMIDADE, VIVEMOS OS MAIS BELOS MOMENTOS, ACREDITO EU, DAS NOSSAS VIDAS.
RIMOS, CHORAMOS, BRINCAMOS, DIVIDIMOS MOMENTOS DE ANGUSTIAS, DE FELICIDADE, NOS AMAMOS DE TODAS MANEIRAS POSSÍVEIS E IMAGINÁVEIS.
MAS, COMO TUDO NA VIDA, TEM HORA PRA COMEÇAR E PARA TERMINAR.
HOJE VIVEMOS MOMENTOS DISTINTOS. MAS, O CARINHO, O RESPEITO E A ADMIRAÇÃO, JAMAIS DEIXOU DE EXISTIR.
TEM DUAS COISAS QUE MARCARAM MUITO EM MINHA VIDA. O PRIMEIRO, FOI QUANDO DISCUTIAMOS O FIM DA RELAÇÃO, ELA ME DISSE UMA FRASE...A MAIS VERDADEIRA QUE OUVI ATÉ HOJE..."POR MAIS QUE PUDERMOS VIVER, JAMAIS ENCONTRAREI EM TODA A MINHA VIDA ALGUEM IGUAL A VOCE...TALVES ENCONTRE ATÉ ALGUEM MELHOR, OU PIOR, MAS, IGUAL A VOCE...JAMAIS"
E A SEGUNDA, FOI SEU ROSTO POR TRAZ DOS VIDROS DO ÔNIBUS, QUANDO VOCE EMBARCOU DE VOLTA APÓS NOSSO ULTIMO FIM DE SEMANA JUNTOS...FOI UMA DESPEDIDA MUDA, CALADA...ONDE CADA UM DE NÓS, JÁ TINHAMOS UMA RESPOSTA PARA TUDO.
FOI BOM TE REENCONTRAR ALÊ...BJS CARINHOSOS.

MDL

CAMINHOS

Todos os caminhos se bifurcam, e só os tolos são temerosos Em seguir adiante, assustados com o porvir.
Não há decisão errada, nunca há,
Tudo é acerto, tudo é erro.
A vida se desenrola suspensa em fios diáfanos,
Imersa em desejos ansiados demais,
E pouca entrega.
Erro? Não, e nem acerto, nada.
Não importa o que se descortina, sol, chuva, neve:
A vida é tudo isso, e nada, e qualquer coisa
Para se tomar nos braços, beijar, sorver, esbofetear.
Eis a vida
Que merecemos, desacertada, imatura, vil,
Demente, taciturna, espalhafatosa vida.
Princesa morrendo de doenças venéreas,
Criança vendendo almas na esquina,
Bailarina esclerosada pulando num só pé.
Eis a vida
Como a conhecemos, e nunca a conheceremos.
E no fim das contas
Toda vida é um prato cheio
Para a falta de pudor dos poetas.
Quero-te assim submissa

Nua
Despida de roupa e preconceitos
Quero-te assim na tua nudez
Algemada
Escrava
Sem braços para me abraçar
Pois estás algemada
Nua
Transpirada
Sedutora
És minha
Todo o teu corpo meu
Todo o teu cárcere é prazer
Na tua nudez submissa
És minha
Algemada
Provocante
Toda minha
Na tua submissão nua
Com as mãos atrás das costas
Algemada
Sem braços para me amar
Com lábios brilhantes
Ansiosos
Sou o teu carcereiro
Sou o teu prazer
Sou a tua masmorra de deleite
E tu estás nua
Algemada
Transpirada
Ansiosa
Tu és minha
Já não tens segredos
Todo o teu corpo despido é meu
Todas as curvas
Tudo que escondes
És prisioneira do meu prazer
Estás nua
Algemada
Submissa
E minha

FOLHAS DE SÓIS ESPUMADOS

Folhas de sóis espumados Na corrente de segredos estreitos
Amor, e tudo o mais que a vaidade
Pode dispersar à luz de múltiplas dúvidas
Eu compro a beleza
Eu alugo enfermidades
Desprezos me atraem
E durmo a noite clara de sapatos molhados
Uma lágrima rolou do meu olho ao perceber

Que era a última vez em que eu ia ver você
Outra lágrima rolou dentro do meu coração
Ao ver a velocidade com que as vidas vão em vão
Quando eu menos esperei, nada mais eu encontrei
Havia desaparecido a lágrima que eu chorei
Mas aquela que escorreu, no meu peito lá ficou
A gota de gosto amargo, com o frio cristalizou
E eu quero saber como proceder
Pra esquecer da tua voz, do teu viver
Porque eu apenas quero caminhar
Sem ter que olhar pra trás
E ver você vivendo em paz
E você sabe que eu já sofri demais aqui
E não vejo a hora de poder ficar junto de ti
E onde você estiver, estarei em coração
Em alma e espírito, através dessa canção
Enquanto a sua ida puder fazer alguém chorar
É sinal que a sua vida ainda não deve acabar
Já que não há saída, eu posso apenas imaginar
Como seria a minha vida sem a sua pra me alegrar